Notícia

16/05/2018

Chef Rodrigo Bellora vivencia Expedição Cacau Cabruca na Bahia

Novas experiências e sabores surpreendentes temperam a bagagem cultural que o chef Rodrigo Bellora, do restaurante Valle Rustico, trouxe de Ilhéus, na Bahia, após participar da Expedição Gastronômica Territórios de Identidade – Da Roça para a Mesa. Apresentando o Cacau Cabruca como temática da edição, o encontro ocorreu entre os dias 8 e 11 de maio, convidando os participantes a conhecer a origem e o valor identitário dos alimentos

O roteiro da expedição abrangeu todos os elos da cadeia produtiva, organizados dentro de seis eixos: biomas, produtores, cultura, produtos, feiras e cozinhas. Bellora teve a oportunidade de conhecer as etapas do tratamento do cacau, desde o plantio até a embalagem do chocolate artesanal para comercialização. “Sou muito grato aos chefs Fabricio Lemos e Caco Marinho por terem me convidado a participar desse encontro. Levo dessa expedição muito conhecimento, uma bagagem sociocultural que vai acrescentar no meu dia a dia, na minha região. O desafio, agora, é refletir sobre como aplicar as informações adquiridas em pratos e na educação do nosso cliente sobre esse chocolate”, adianta. Uma das experiências a elaborar está relacionada à utilidade da transformação do mel de cacau em espumantes ou destilados, por meio da fermentação.

 

A valorização dos pequenos produtores

A experiência também ajudou a retratar a realidade dos pequenos agricultores, em uma tentativa de sensibilização para a maior valorização desse tipo de sistema. “O cacau precisa de dengo, de carinho, desde os processos iniciais até a finalização. Isso representa também outros tipos de produtos, pois quando há a possibilidade de visitar e conhecer o real processo que passam os agricultores familiares, aprendemos a valorizar mais o produto nacional por estarmos inseridos no contexto”, aponta Rodrigo. O Cacau Cabruca é um sistema agroflorestal, de pequenas propriedades e de pessoas de verdade que vivem e dependem disso. É um processo de humanização da produção do cacau, no qual é observado o processo holisticamente para, assim, a compreensão do que é produzido se tornar clara e parte fundamental na escolha do que é utilizado na elaboração dos pratos.

Diversas ações serão desenvolvidas após as expedições, entre elas a produção de um documentário, encartes em revistas, publicações de receitas, entre outras, culminando com a edição de um livro.

Sobre o projeto

A Expedição Gastronômica Territórios de Identidade é uma realização de membros do Instituto Ori, associação baiana de fomento à cultura, turismo e desenvolvimento por meio da ecogastronomia. A proposta segue os princípios do Slow Food e visa a fortalecer a "Aliança Produtiva", do projeto Bahia Produtiva, que liga produtores da agricultura familiar, de forma mais direta, com os mercados consumidores. A ideia surgiu de um grupo de chefs de cozinha que queria dar um passo além, seguindo uma tendência da gastronomia mundial de valorização das produções de cada local, da agricultura familiar.